Serra será chamado para depor em CPI da Privataria


 

Por: Júlio Gardesani (julio@abcdmaior.com.br)

Protógenes Queiroz afirma que chegou a hora da prestação de contas. Foto: Luciano Vicioni

Deputado Protógenes Queiroz garante assinaturas para investigar irregularidades em privatizações

O deputado federal Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) garantiu as assinaturas necessárias para criar a CPI da Privataria Tucana, que investigará supostas irregularidades nas privatizações promovidas pelo PSDB na década de 1990. Ao ABCD MAIOR, Protógenes afirma que os parlamentares irão ouvir o ex-governador José Serra (PSDB), citado pelo livro do jornalista Amaury Ribeiro. “As manifestações desesperadas de Serra são esperadas de quem teme o prosseguimento das investigações”, afirmou Protógenes.

ABCD MAIOR – O livro A Privataria Tucana servirá como prova nas investigações da CPI das privatizações realizadas pelo PSDB?
PROTÓGENES QUEIROZ – Primeiramente, é preciso ter a noção de que não se trata de um simples livro. A publicação é um documento que cruza fatos, munido de informações públicas, inclusive com outras fontes, que convergem com investigações da Polícia Federal, acompanhadas por mim durantes doze anos. Apesar do tema privatizações já ter sido alvo de investigações, não conseguimos avançar muito. No entanto, é chegada a hora da prestação de contas. As privatizações não são um tema da alçada apenas política, mas sim de organizações sociais e de toda a população brasileira. Apesar de o debate ser retomado a cada eleição, seja municipal, estadual ou nacional, nunca nenhum político levou o tema privatização para nenhum parlamento brasileiro.

Por que a sociedade deve acreditar que os responsáveis pelos supostos crimes apontados no livro de Amaury Ribeiro, se comprovados, serão punidos?
Hoje, temos um momento político renovado e reforçado pela participação popular, movimentos sociais e pela classe trabalhadora, que acompanha o espaço da política brasileira. Vivemos um momento produtivo para a democracia brasileira, que é externado pela coleta de assinaturas para a implantação da CPI. Foi o ato primário que deu início ao debate. Em quatro dias, conseguimos 185 assinaturas, durante o final de primeiro ano de uma nova legislatura. Assinaturas não só da base governista, mas também da oposição e até mesmo de deputados do PSDB. Por isso, acredito que esta CPI colocará o Brasil historicamente nivelado com outros países, que passaram pelos mesmos processos. Também temos a questão da Comissão da Verdade. São temas que já foram debatidos na Argentina e no Peru, por exemplo. Nosso objetivo, no Brasil, é atingir um nível de trabalho dentro de nossa realidade e perspectiva política. Todos esses indícios de irregularidades sem as devidas investigações sempre nos deram a sensação de impunidade e impotência.

E o que foi feito com o dinheiro das privatizações tucanas?
Fomos enganados um dia. É isso que o livro nos revela. Nos contaram uma história muito bem feita, na década de 90. Não foi realizada nenhuma manifestação pública. Isso porque a maioria da população deu crédito, à época, para o PSDB e para o presidente Fernando Henrique Cardoso conduzirem o processo de privatização, acreditando que seriam retomados os investimentos em educação, saúde, segurança pública, reforma agrária, entre tantos outros, o que se passaria com a arrecadação da venda de nosso patrimônio. Mas este dinheiro sumiu. E tudo piorou no Brasil após as privatizações. Até hoje, o governo da presidente Dilma Rousseff paga um preço muito alto pela desestruturação de nossa rede pública de serviços.

O candidato derrotado à presidência da República em 2010, José Serra (PSDB), que teve o nome envolvido nas denúncias, afirmou que tanto o livro como a CPI seriam apenas “lixo” e “palhaçadas”.
É o primeiro sintoma do comprometimento do ex-governador José Serra com possíveis atos ilícitos e irregularidades que podem ter ocorrido nestes processos de privatização. Manifestação esperada de quem teme o prosseguimento desta investigação. Além disso, demonstra falta de compromisso com a democracia no Brasil. Confesso que me surpreendi com as declarações do ex-governador, ex-candidato a presidente da República, ex-militante estudantil e ex-exilado político José Serra. Ato que será corrigido quando Serra for chamado para depor na CPI, pois o parlamento brasileiro será o fórum mais adequado para tais explicações.

E quando terão início as investigações?
Temos, hoje, 185 assinaturas confirmadas. Número superior ao quórum regimental de 171 assinaturas. Acredito que nas primeiras semanas de fevereiro a CPI estará instalada e as investigações, devido aos trâmites legislativos, terão início após o Carnaval.

Durante a operação Satiagraha, promovida pela Polícia Federal, o senhor foi um dos responsáveis pela prisão do banqueiro Daniel Dantas (duas vezes preso e duas vezes solto pelo então ministro do STF Gilmar Mendes). Agora, Dantas volta a ser citado em indícios de irregularidades apontados pelo livro. A CPI será a extensão das investigações da Satiagraha?
O livro envolve as mesmas pessoas que, ao longo dos 12 anos, foram investigadas pela Polícia Federal, período em que lá estive. Então, vem o banco Oportunity, do Daniel Dantas, que participou de todo o processo de privatização no Brasil durante a década de 90, e aparece no livro com algumas operações suspeitas de fraude. E é normal que essas pessoas se encontrem em fatos criminosos, pois o modo de agir é sempre o mesmo. O que muda é apenas o momento político. Agora, em 2012, teremos a CPI da Privataria. Mas daqui 20 anos, essas pessoas estarão sendo investigadas em outras operações. As pessoas se utilizam desta sensação de impunidade para continuar no poder. Seria muito melhor se utilizassem a inteligência deles para o desenvolvimento do Brasil. Curiosamente são as mesmas pessoas que nasceram neste bloco de direita, desde a UDN, Arena, passando pelo PFL. Este é o caminho deles.

Qual a pena, caso os crimes sejam comprovados?
A pena para quem cometeu os crimes descritos no livro, se comprovados, chega a 50 anos de prisão, bloqueio de bens e a recuperação dos bilhões de dólares desviados aos cofres públicos. Devem ficar atrás das grades e sem dinheiro nenhum.

Para ver a entrevista de Protógenes Queiroz à TVT, clique aqui


One thought on “Serra será chamado para depor em CPI da Privataria

  1. Pingu diz:

    Seria bom vermos o mesmo “empenho” na investigação do mensalão, que está prescrevendo após 7 anos sem um condenado sequer!
    BRASIL, 6ª economia, 6º da Copa e 84º no IDH…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s